Caqui: revista brasileira de haicai

CAQUI · Fórum · Correio · Busca

Antologia de
Haicais Clássicos

Índice | Ano Novo | Primavera | Verão | Outono | Inverno 

Sobre a Antologia | O que é Haicai 

Originais em japonês Versão com kanji



sakura

Haru

Primavera




yomibito o shirazaru haru no shûka kana

É anônimo o autor
Deste esplêndido poema
Sobre a primavera.

Shiki



haru no hi ya niwa ni suzume no suna abite

Dia de primavera —
Os pardais no jardim
Tomam banho de areia.

Onitsura



nodokasa no hitori yuki hitori omoshiroki

A tranqüilidade
De andar sozinho,
Divertir-se sozinho.

Shiki



nodokasa ya kakima wo nozoku yama no sô

Tranqüilidade —
O monge da montanha
Espia através da cerca.

Issa



mada nagô naru hi ni haru no kagiri kana

Outro longo dia,
E a primavera
Vai chegando ao fim!

Buson



osoki hi no tsumorite tôki mukashi kana

Dias que se alongam —
Cada vez mais distantes
Os tempos de outrora!

Buson



yuku haru ya tori naki uo no me wa namida

Vai-se a primavera!
Lágrimas no olho do peixe.
Choram as aves.

Bashô



kutabirete neshima ni haru wa kure ni keri

Morto de cansaço,
A primavera chega ao fim
Enquanto durmo.

Kitô



yusa-yusa to haru ga yuku zo yo nobe no kusa

Farfalhando,
A primavera se vai
No capim do prado.

Issa



tabi sen to omoishi haru mo kure ni keri

Quando penso
Em partir em viagem,
O fim da primavera.

Kyoshi



kusa kasumi mizu ni koe naki higure kana

As águas silentes
E a névoa sobre o capim —
Entardece agora.

Buson



haru nare ya na mo naki yama no asagasumi

Já é primavera —
Uma colina sem nome
Sob a névoa da manhã.

Bashô



hashigeta ya hi wa sashi nagara yûgasumi

Pelas vigas da ponte,
Os raios de sol
Na névoa da tarde.

Hokushi



haru kaze ya tsutsumi goshi naru ushi no koe

Vento de primavera —
Do outro lado do aterro,
O mugido da vaca.

Raizan



yane ni neru nushi nashi neko ya haru no ame

Um gato sem dono
Dormindo sobre o telhado —
Chuva de primavera.

Taigi



harusame ya monogatari yuku mino to kasa

A viva conversa
Da capa e do guarda-chuva —
Chuva de primavera.

Buson



harusame ya utsukushû naru mono bakari

Chuva de primavera —
Todas as coisas
Parecem mais bonitas.

Chiyo-jo



harusame ya neko ni odori o oshieru ko

Chuva de primavera —
Uma criança
Ensina o gato a dançar.

Issa



yuki tokete mura ippai no kodomo kana

Ao derreter-se a neve,
A aldeia se enche
De crianças!

Issa



kagerô ya hito-kuwa-zutsu ni tsuchi kusaki

O ar a tremular —
A cada golpe da enxada
O cheiro da terra.

Rankô



haru no umi hinemosu notari notari kana

Mar de primavera —
O dia todo,
Ondula, ondula ...

Buson



haru no no ya nani ni hito yuki hito kaeru

Campo de primavera —
Para onde vão, de onde vêm
Estas pessoas?

Shiki



ikanobori kinô no sora no aridokoro

Uma pipa
No mesmo lugar
do céu de ontem!

Buson



utsukushiki tako agari keri kojiki-goya

Sobe
Do barraco do mendigo
Uma linda pipa.

Issa



mugi-meshi ni yatsururu koi ka neko no tsuma

Tão mirrada,
De tanto arroz e cevada,
A gata enamorada.

Bashô



hige ni tsuku meshi sae omoezu neko no koi

Nem se lembra
Do arroz grudado ao bigode —
Gato enamorado.

Taigi



nete okite ooakubi shite neko no koi

O gato, ao acordar,
Com um grande bocejo
Vai namorar.

Issa



osoroshi ya ishigaki kuzusu neko no koi

Que coisa horrível!
Os gatos enamorados
Derrubaram o muro.

Shiki



uguisu ya mata iinaoshi iinaoshi

Ah, o rouxinol!
De novo ele tenta
E tenta de novo.

Chiyo-jo



asagoto ni onaji hibari ka yane no sora

A cada manhã,
No céu sobre o meu telhado,
A mesma cotovia?

Jôsô



nagaki hi o saezuri taranu hibari kana

À cotovia,
Que canta sem cessar,
O dia inteiro não basta.

Bashô



chichi haha no shikiri ni koishi kiji no koe

Ah, quanta saudade
De meu pai e minha mãe
Na voz do faisão.

Bashô



ren ni itte bijin ni naruru tsubame kana

Entra pela cortina
E à linda mulher se afeiçoa —
Uma andorinha.

Ransetsu



okiyo okiyo waga tomo ni sen neru kochô

Acorda, acorda!
Vem ser minha amiga,
Borboleta que dorme!

Bashô



chôchô ya nani o yume mite hane zukai

Borboleta!
O que sonhas, assim,
mexendo suas asas?

Chiyo-jo



tsurigane ni tomarite nemuru kochô kana

Sobre o sino,
Pousada dormita
A borboleta.

Buson



chô tobu ya kono yo ni nozomi nai yô ni

Como se neste mundo
Não tivesse mais esperanças,
Vai-se a borboleta!

Issa



hira-hira to kaze ni nagarete chô hitotsu

Flutuando,
Abandona-se ao vento
Uma borboleta.

Shiki



michizure wa kochô o tanomu tabiji kana

Para esta viagem
A melhor companhia
É uma borboleta!

Shiki



furu ike ya kawazu tobikomu mizu no oto

O velho lago ...
O ruído do salto
Da rã na água.

Bashô



ume ga ka ni notto hi no deru yama ji kana

No perfume das flores de ameixa,
O sol de súbito surge —
Caminho da montanha!

Bashô



hitotsu ochite futatsu ochitaru tsubaki kana

Uma cai ...
E duas caem a seguir —
Camélias!

Shiki



hana chirite ko no ma no tera to nari ni keri

Ao perder as flores
Com o templo se confunde
A cerejeira.

Buson



sato no ko no hada mada shiroshi momo no hana

Da criança da aldeia
A pele ainda branquinha —
Flor de pessegueiro.

Chiyo-jo



nashi saku ya ikusa no ato no kuzure ie

A pereira em flor —
No antigo campo de guerra,
A casa em ruínas.

Shiki



yama no tsuki hana nusubito o terashi tamou

A lua da montanha
Gentilmente ilumina
O ladrão de flores.

Issa






25 de dezembro de 2003

Primeira
página

Retornar ao Caqui

Enviar esta página
para um amigo

Início da
página

Retornar ao início da página