Este espaço tem por objetivo divulgar a produção haicaísta em língua portuguesa. Se você é autor, saiba como expor seu trabalho gratuitamente

Um haicaísta na terra de Chaucer

Capa - The Canterbury Haiku

The Canterbury Haiku — Haicais da Cantuária
Sérgio Francisco Pichorim

Coletânea de haicais bilíngues (80 haicais nas versões em português e inglês). Tradução para o inglês de Amauri Solon. Revisão das traduções de Rosa Clement. Apresentação de José Marins. Contracapa de Amauri Solon e Rosa Clement. Contém notas aos haicais. Contém nota bio-bibliográfica. Curitiba, Araucaria Cultural, 2017, 96 páginas, 11cm x 17,5cm. ISBN 978-85-66429-13-8. Contato: pichorim@utfpr.edu.pr.

Da Apresentação:”Os 80 haiku deste livro foram realizados nos três meses da primavera de 2016 na cidade de Canterbury (Cantuária), na Inglaterra. Preciosas vivências que renderam poemas pichorianos que se aproximam da objetividade concreta recomendada pelo mestre Shiki, criador do esboço realista. Creio que o poema haiku pichoriano vem de uma mente alerta pelo toque da realidade, em uma linguagem que preserva o frescor da cena anotada. A aproximação com Masaoka Shiki, que noto em Pichorim, coincide com alguns dos conselhos que esse mestre do haiku sugeria: a) escreva o que está diante de seus olhos; b) dê atenção aos locais menos conhecidos; c) revele a individualidade dos temas e materiais anotados; d) leia o haiku dos outros poetas para se atualizar. Acrescento, no entanto, que o próprio Shiki percebeu limitações em seu estilo, flexibilizou o esboço realista indo além da imagem, a admitindo um realismo seletivo no qual há lugar para a subjetividade”.

Amostras:

“Crou crou crou”
o corvo me disse bom-dia
ao cruzar o caminho.

A ameixeira
lentamente acorda.
Flor por flor.

Abro a janela
e deixo entrar o luar.
Também a friagem.

Nos jardins de Dover
comuns como as outras flores.
Botões de tulipas.