Este espaço tem por objetivo divulgar a produção haicaísta em língua portuguesa. Se você é autor, saiba como expor seu trabalho gratuitamente

Coletânea reúne haicais de Clície Pontes

capa - 575
5-7-5 Haicais: Poesias do Japão e seus kigos
Clicie Pontes
Clicie Pontes cultiva haicais no formato tradicional, observando o uso de termos-de-estação (kigos).

Coletânea de haicais (40 haicais). Prefácio da autora. Contracapa de Marialva Achcar Mazzaro. Contém nota biográfica. Edicon, São Paulo, 2008. 48 páginas, 21cm x 21cm. ISBN 978-85-290-0788-5.

Trecho do prefácio: “O haicai é imerso na captação sensorial e total do presente, saboreia a vida no aqui-agora, sem conjecturas ou opiniões. Você se nutre do real, vivenciando ícones, imagens vivas, não metafóricas, inerentes aos objetos, sem tirar conclusões ou emitir conceitos. Você simplesmente mostra, sugere. O haicai refere-se , por exemplo, ao ‘dia chuvoso’ (realidade) e nunca ao ‘dia bonito’ (apenas uma opinião): cada um tem a própria. Assim, nao se retira do leitor a liberdade. Cada haicai é único! Voce capta o momento e se nutre dele: se nao estiver atento e ‘presente’, perderá o que acontece ao seu redor. Envolvendo o leitor surge o universo da reação: você sente a seu modo o que foi sugerido. Em aberto, há um corte, uma pausa: a passagem para o inesperado, levando-o à descoberta e complementação, alegrando-se ou se entristecendo. Tudo isto nunca é explicito no haicai, apenas sugerido, dentro de um cenário natural: o ‘poeta acende a chispa e o leitor prossegue a viagem’.”

Amostras:

Vestida de azul,
desaparece a menina–
Um jardim de hortênsias!
O luar aponta
lá no meio do pomar,
a velha coruja.
Vidraça embaçada —
Um nome se dissolvendo
no frio da noite…
Aurora no mar —
Revela a névoa, um a um,
Todos os veleiros…