Voltar à página inicial

Oficina de Verão 2003 da Haikai-L

Data de entrega: 10/02/2003, 18:00

Regras

1. Podem participar todos os assinantes da lista, principiantes ou veteranos;

2. O numero máximo de haicais está limitado a seis por assinante. O mínimo é um;

3. Os temas são livres;

4. A data-limite de entrega dos haicais é 10/02/2003 (segunda-feira), até as 18:00 (hora de Brasilia);

5. Os haicais devem ser entregues ao Administrador da lista, em email para um dos endereços: haikai-l-owner@yahoogrupos.com.br ou kakinet@uol.com.br. O "assunto" deve ser "Oficina de Verão";

7. Os haicais serão numerados e enviados em mensagem única para a lista, sem indicação de autoria, até a 00:00 do dia 11/02/2003. Adicionalmente, serão publicados na web, no endereço http://www.kakinet.com/lista/oficina.htm durante o tempo de duração da oficina;

8. Os haicais poderão ser comentados (ou "palpitados") à vontade por qualquer confrade ou confreira, embora seja grande a expectativa, por parte tanto de principiantes como de veteranos, de receber a atenção dos chamados Mestres da Lista, do Amazonas ao Rio Grande.

9. Quando for o caso de apontar falhas ou possibilidade de melhorias, os comentadores devem sempre procurar sugerir as respectivas soluções;

10. Esta atividade não impede a realização ou continuidade de quaisquer outras em paralelo;

11. A denominação "oficina de verão" não implica na obrigatoriedade de se compor haicais de outono, especialmente em respeito aos confrades do hemisfério norte. O que vale é o aqui-agora de cada um.





************************************

1-Quarto abafado,
todas as janelas fechadas,
paredes quentes.

2-Dia de verão...
janela escancarada
e nenhum vento

3-ocaso com nuvens
céu vermelho e laranja
e nenhuma chuva

4-sesta da tarde
um raio de sol no rosto,
a acorda suada.

5-água da piscina
reflete a luz do sol
nos meus olhos

6-as crianças tomam
um banho de mangueira
na maior alegria

************************************

7-sol inesperado--
nas pedras da cachoeira
diversos furinhos

************************************
 
8-Oficina de verão - 
Verão os participantes
Como se faz haicais
 
9-Chuvas de verão - 
Os pintores não trabalham
Mas fazem haicais
 
************************************

10-Chuva e enchente.
Acabaram mais cedo
as minhas férias.

11-De algum lugar
um cheiro doce de flor.
Vento de verão.

12-O sol da manhã
e o rastro do caramujo
da noite de ontem.

13-No calor da tarde
até o vento leve
me sufoca.

14-Na sombra do muro
pequenos copos-de-leite
crescem em fileiras.

15-Casa de praia.
O sol e o vento são
os meus convidados.

************************************

16-dia de calor--
as pimentas nos arbustos
mais quentes ainda

************************************

17-trigal amarelo
nele sobrevoa o corvo
e a alma do pintor

18-numa tarde quente
sobrevoando as camélias
alegre libélula

19-na beira da praia
vento leve de verão:
bailam os coqueiros

20-no meio do dia
florido flamboyant
se enche de luz

21-é o fim do dia
mas o verão não apaga
sua claridade

22-na tarde que finda
ouço o canto das cigarras:
pressinto o calor

************************************

23-espuma nas ondas--
o menino põe no ar
bolhas de sabão

************************************
 
24-Desastre na estrada.
A luz do sol põe reflexos
No olho do morto.

25-As mãos da viúva
Ainda guardam lembranças...
Dia de Finados.

26-No fundo do poço
Excitação e tumulto:
Briga de girinos.

27-No muro da esquina
As trepadeiras escondem
O nome da rua.

28-A lâmpada acesa,
Na janela o bate-bate:
Uma mariposa.

29-Árvores podadas:
A Natureza não usa
Tanta simetria.

************************************

30-luzes do semáforo--
um vira-lata na faixa
junto com pedestres

************************************
 
31-Na rua sem sombra
saltita ao calor do piso
um cão vira-lata.

32-Ao sol do meio-dia
longínquo, o som do apito
do amolador de facas.

33-Sala em penumbra.
A mulher adormecida
ao calor da tarde.

34-As folhas do livro
agitam-se, ao sôpro suave
do ventilador.

35-Manhã no cabaré.
As venezianas fechadas
filtram fatias do sol.

36-Entre as mesas vazias
acordes dolentes, mornos...
Tangos de Gardel.

************************************

37-chuva da manhã--
no fio cheio de pingos
pousa um beija-flor

************************************

38-ave migratória
não completou o percurso
na estação de caça

39-um inseto preso
nos acúleos da drosera:
a rosa da morte

40-caduco e maduro
floresce magicamente
o ipê-branco

41-riso e segredo
quando você atravessa
a rua do pecado

42-cores e sons
sobre o sobrado um silvo
do pintassilgo

43-urubu no céu
voando em círculos
a vida se refaz

************************************
 
44-da alta estante,
a corujinha de gesso
observa os homens
 
45-flores ressequidas
levadas pelo vento
- ah, o velho túmulo
 
46-prenúncio de temporal:
trovões ecoam ao longe,
na tarde de sábado
 
47-traços incertos:
voando em torno da lâmpada
insetos noturnos
 
48-hora de voltar:
a noite chega nas luzes
refletidas n'água
 
49-arpão certeiro:
o tucunaré debate-se
inutilmente
 
************************************

50-vizinhos ausentes--
passarinhos ou meninos
na goiabeira 

************************************

51-Gotas
sobre a epiderme.
Amanhece.
 
52-Tempo
de raízes expostas.
Filhos criados.
 
53-Silêncio
se tem
rio.
 
54-Tudo quieto...
do teto desaba
um dilúvio.
 
55-Entre as árvores
um letreiro.
MADEIREIRA

************************************

56-depois da chuva 
o musgo colado ao tronco, 
é ainda, mais verde 

57-calor em paris ! 
na fonte do museu rodin 
refrescar os pés 

58-pequenas flores brancas 
no alto da mata densa 
- tarde de verão 

59-canoa de guapuruvu 
duas amigas ao mar 
virada de ano 

60-fim de tarde 
algumas poucas andorinhas 
fazendo verão 

61-entre as nuvens 
um pedaço de céu velho, 
e um ar de verão 

************************************

62-Cocô de cachorro -
Ah, desculpem-me, mosquinhas,
Mas devo limpar.

63-Manhã de verão -
A luz da minha varanda
Ofusca as sombras.

64-Ah, foram-se as nuvens
Que escondiam os biquinis!
Barra da Tijuca.

65-Tá chegando a hora!
Numa esquina, três mendigos
Puxam um batuque.

66-Olhos azuis.
Um bebê e seu baldinho,
Na beira do mar.

67-Meia-noite e pouco,
Nas areias de Ipanema -
Noite tropical...

************************************

68-Ao sair do banho ,
sopra o vento nos mamilos ---
Frêsca na varanda .

69-Na areia da praia ,
para quê fazer fogueira ?
Lua de verão .

70-Sòzinho me encontro
na sala da redação ---
Chuvas estivais .

71-É só quando voa,
parando então de cantar,
que se vê a cigarra !

72-Sem nem ter um sino ,
ao lado das fôlhas tenras , 
resta o campanário . 

73-Na convalescença ,
até mesmo olhar as rosas
a vista fatiga .

********************************