Caqui: revista brasileira de haicai

CAQUI · Empório · Teia · Graffiti · Notícias · Fórum · Correio · Busca

Encontro Brasileiro de Haicai

O que é o
Encontro
Brasileiro
de Haicai
XXVI Encontro
XXV Encontro
XXIV Encontro
XXIII Encontro
XXII Encontro
XXI Encontro
XX Encontro
XIX Encontro
XVIII Encontro
XVII Encontro
XVI Encontro
XV Encontro
XIV Encontro
XIII Encontro
XII Encontro
XI Encontro
X Encontro
IX Encontro
VIII Encontro
VII Encontro
VI Encontro
V Encontro
IV Encontro
III Encontro
II Encontro
I Encontro


17o Encontro Brasileiro de Haicai

17o Encontro Brasileiro de Haicai

Início | Os Haicais | As Fotos


05 de novembro de 2005

Colégio Santo Agostinho
Praça Santo Agostinho, 79
São Paulo, Brasil

 encontro@kakinet.com

Desde 1986, o Encontro Brasileiro de Haicai é um espaço totalmente dedicado à confraternização de haicaístas de todo o país, promovendo a discussão deste gênero e fomentando o surgimento de novos poetas. Ao longo dos anos, personalidades do porte de Paulo Leminski, Alice Ruiz, Olga Savary, Teiiti Suzuki e Paulo Franchetti marcaram presença no evento, discutindo, polemizando ou simplesmente festejando o haicai brasileiro. Em 2005, o Encontro retornou a S.Paulo, cidade onde nasceu.


Um dia de sol

Sábado, 5 de novembro de 2005. Miraculosamente, deram uma trégua o tempo instável e os dias cinzentos que vinham caracterizando a primavera deste ano em São Paulo. O céu nublado das primeiras horas da manhã foi aos poucos se abrindo para o sol, que brilhou durante o dia inteiro, pintando um cenário de cores festivas para mais um Encontro Brasileiro de Haicai.

Desde as sete horas, a movimentação no Colégio Santo Agostinho era intensa, dividida entre a arrumação do Salão Santa Mônica, sede dos principais eventos do Encontro, e o espaço da cantina, onde seriam servidos o café da manhã e o almoço aos visitantes. À porta do Salão, foram arrumadas as bancas de livros e de inscrições para o Grande Desafio, à espera dos primeiros visitantes, que não tardaram a aparecer. Ao redor das oito e meia, o café era servido às caravanas do interior que vieram prestigiar o Encontro.

Após resolver os inevitáveis contratempos de última hora, o Encontro era aberto às dez e meia, pela voz potente do apresentador oficial Alberto Murata a anunciar em resumo as atrações do dia. Seguindo-se a uma breve mensagem de boas-vindas de Edson Kenji Iura, do Grêmio Haicai Ipê, teve início a palestra "Haicai e Maturidade", levada a cabo pela poeta Eunice Arruda e pela psicóloga Myrian Martins, dando conta da introdução do haicai como ferramenta ocupacional de um grupo de terceira idade e das implicações terapêuticas desse trabalho. A declamação dos haicais produzidos pelo grupo foi acompanhada com grande interesse pela platéia, que dirigiu muitas perguntas às palestrantes.

No intervalo que se seguiu, foi servido o almoço aos participantes, que puderam acomodar-se com conforto nas bancadas armadas no espaço da cantina, observando a quadra de esportes do colégio, deserta e brilhante ao sol do meio dia. Muitos contatos entre os presentes, fortalecendo o intercâmbio de experiências entre haicaístas de diferentes lugares do Brasil. Tempo também para atualizar a estante com os livros vendidos à porta do Salão Santa Mônica e, mais importante, fazer a inscrição gratuita para participar do Grande Desafio.

Às duas da tarde, com o Salão lotado, iniciou-se o Grande Desafio, sendo anunciados os temas "filhote de gato" e "ipê amarelo". Cada participante deveria escolher apenas um dos temas e compor um haicai em 20 minutos. Não houve separação entre crianças e adultos. Passados os 20 minutos, monitores recolheram os trabalhos, que foram julgados por uma banca de seis jurados.

Enquanto isso, as atividades se dividiram em duas partes: Jovens e crianças eram convidados a participar de uma aula de origami com a professora Sandra Sakamoto no espaço da cantina, enquanto os adultos permaneceram no Salão, onde ouviram uma palestra de Guin Ga Eden com o título de "O que é Haicai". Aqui, o palestrante resumiu os principais parâmetros que regem a composição desta forma poética, lançando mão ainda de "listas de recomendações" divulgadas pela internet e discutindo sua validade.

Às dezesseis horas, o júri já terminara seus trabalhos. Entretanto, a premiação iria começar pelas crianças e jovens participantes do 4o Concurso Brasileiro de Haicai Infanto-juvenil, iniciativa do Grêmio Haicai Ipê que, durante 2005, mobilizou 3769 alunos do Ensino Fundamental de cinco estados. Foram entregues prêmios a 10 haicais classificados, mais 15 menções honrosas e cinco menções especiais. Nem todos os premiados puderam comparecer, mas era grande a alegria dos presentes.

E, finalmente, a divulgação dos vencedores do Grande Desafio: um a um, iniciando-se pelo décimo lugar e, numa vibração crescente, chegando ao primeiro lugar, foram sendo anunciados os vencedores para que viessem receber seus prêmios. Muitas poses para fotos e manifestações de satisfação por mais um ano de sucesso marcaram o encerramento do 17o Encontro Brasileiro de Haicai.

O 17o Encontro Brasileiro de Haicai foi uma realização do Grêmio Haicai Ipê.

Primeira
página

Retornar ao Caqui

Enviar esta página
para um amigo

Início da
página

Retornar ao início da página